A Parada não Para, documentário do sarau Parada Poética divulgado no canal do Inquerito

Créditos Divulgação
Desde 2013, toda segunda segunda-feira do mês, a antiga Estação Ferroviária de Nova Odessa - SP é tomada por poesias e apitos de trens. Ali, o espaço é de todos que se aproximam e se apropriam do microfone, fazendo deste momento único uma celebração da palavra falada, declamada, reclamada, sentida... Uma manifestação democrática: a Parada Poética. 
É um lugar pra recitar textos, versos, frases, poemas e revoltas. Seus e dos outros. Lendo, decorado, de improviso, roubado do Facebook, não importa a forma, não temos fôrma. Não somos profissionais, queremos ser amadores, amadores da arte do ofício da palavra. 
O lema é: maltratar a gramática e jogar a culpa na licença poética. Lugar pra visitar e nunca mais voltar, a ser @ mesm@!
Vivam os encontros: vocálicos, consonantais, espirituais e pessoais, aqui não tem separação, nem de sílabas nem de pessoas. Já tem quarta de cinza, sexta da paixão e até domingão do Faustão, porque não uma segunda de poesia? Então é isso, poesia de primeira numa noite de segunda! Não sou padre nem deputado mas fica decretado, dia de Parada é sagrado, é tipo feriado! E a semana do sarau é a nossa semana santa! Amém? Amém! 

Comentários