Imprimir

Dropê Comando Selva, o Poeta, Pesquisador e Produtor Cultural, celebra 12 anos de militância na cena Hip Hop lançando o seu primeiro disco solo: “ENTRE NÓS”

Escrito por Marcelo em . Postado em Internacional

Lançamento do Álbum - Dropê Comando Selva, o Poeta, Pesquisador e Produtor Cultural, celebra 12 anos de militância na cena Hip Hop lançando o seu primeiro disco solo: “ENTRE NÓS” uma parceria com o Selo Miragem Records.

Um trabalho com forte influência na música Brasileira, principalmente da lendária década de 70 da nossa música transitando entre a MPB e a psicodelia da época.

O artista incorpora um novo conceito musical e ideológico no mercado, afirmando nossa riquíssima cultura nacional dentro do universo do Rap. Por isso a maior parte dos ”samples” do álbum são de artistas brasileiros.

Dropê cita repentista, emboladores, partideiros a Tropicália e própria MPB, entre outros movimentos artísticos nacionais como a raiz do seu REP, resgatando conceitos com o movimento intitulado como a ReTropicália criando o Novo Ritmo e Poesia Brasileiros que agrega uma nova forma de se pensar dentro do contexto atual o RAP

Estilo reconhecido por artistas como Tom Zé (sampleado por Dropê) que aprovou o resultado, Sérgio Sampaio homenageado no Disco com a releitura do som “Eu quero Botar Meu Bloco na Rua" com aprovação de seu filho.

Di Melo que teve sua música Conformópolis sampleada em uma releitura de mesmo nome (faixa do disco Entre Nós Lado B com videoclipe lançado no youtube) e aprovado pelo mestre que recebeu a homenagem com muito carinho e aprovou a faixa e o videoclipe. A divulgação do projeto iniciou com os singles: “Multiversos” lançado com exclusividade pela rádio Transamérica, e virou trilha da marca Tekstiiliköök sendo transmitido na Alemanha e Estônia.

O segundo single “Bloco na Rua”, lançado com um trabalho fotográfico original junto com o grupo de Bate Bola-União de Realengo, faz uma alusão à cultura dos “Blocos de Rua”, e a ocupação da rua com arte, cultura e informação.

Este single foi contemplado no blog Amplificador do site Globo.com como um dos 20 lançamentos do momento ao lado de artistas como Emicida, Zeca Pagodinho, Vanessa da Mata entre outros da cena musical nacional.

O Som Selva-Gens que teve uma versão autorizada liberada para virar trilha sonora do documentário ‘’O Rap pelo Rap’’ do paulistano Pedro Fávero em 2016.

Após os singles, Dropê e a Miragem lançam de maneira inovadora o álbum, fazendo uma analogia à época que se ouvia música na vitrola, separou-se o disco em Lado A e Lado B como se fosse um vinil virtual. Já está disponibilizado no youtube e no site da Miragem para todos os ouvintes desde o Lado A do disco que teve seu lançamento em 2015. Segundo os produtores do álbum, Daniel Obino e Luiz Felipe Filho, o Lado A dialoga com frequências diurnas, mais leves, populares e dançantes. O Lado B já carrega uma atmosfera mais obscura e densa dialogando com a noite e o lado negro do poeta, completando assim o Yin Yang musical do disco. Mesclando batidas eletrônicas com a gravação de instrumentos acústicos, como baixo, violino, guitarra, teclados e percussão, outra coisa que chama bastante atenção são os temas abordados nas músicas que passam bem distante do lugar comum que a cena do Rap se encontra. Transcendendo assim ideias, conceitos e falando de assuntos mais profundos e filosóficos utilizando muitas metáforas em sua lírica dentro da atmosfera musical da obra.

Dropê já é conhecido por todo Brasil por seus projetos sócio-culturais que fomentam a cena da cultura urbana e por suas viagens de pesquisa e interação de norte a sul no Brasil junto ao coletivo Comando Selva. Projetos como Reciclando Pensamentos, Tv Improviso, Expedições, Oficina de Ritmo e Poesia, Mutirão de Grafite, Invasão Cultural e CCRP (Circuito Carioca de ritmo e Poesia) são algumas das “armas” desse agitador cultural pra movimentar e transcender a cena atual.

No ano de 2015 Dropê migrou para a Bahia e hoje reside na cidade de Salvador dando continuidade ao desenvolvimento dos projetos e pesquisas, em Salvador trabalhou durante 2 anos com as práticas da Redução de Danos para usuários de psicoativos (drogas) em situação de Rua. Dentro do projeto Corra pro Abraço e com a Casa da Ladeira (Santa Casa) desenvolveu projetos de Arte Educação e troca de conhecimentos gerais e as práticas de RD para moradores de rua de todas as idades que se circulam pelo centro da cidade. Também desenvolveu em 2017 a oficina Licença Poética em diversos subúrbios da cidade em parceria com a Coelba e o projeto Mutirão Mete Mão, promovendo encontro com jovens de áreas consideradas de risco para fomentar a cultura com a ferramenta do Hip Hop focando no quinto elemento (a consciência) e na compreensão do Ritmo e Poesia Brasileiros, fazendo um estudo nas raízes da cultura nacional e de tudo que ocorreu de movimento cultural na arte do improviso e da poesia, antes mesmo da cultura Hip Hop ter seu início, aproximando os jovens da cultura nacional na hora de pensar no desenvolvimento do Rap contemporâneo, valorizando o que vem de fora, porém se conectando com as raízes rítmicas e poéticas de sua cultura local.

Dropê também se encontra na produção do seu próximo projeto musical SELVA 808 um projeto de ritmos dançantes, originalidade e sempre acompanhado de muita lírica, que dialoga com as origens da cultura Bass (Bass Culture) e outras vertentes da música eletrônicas, tudo sempre devidamente aproximado dos ritmos Latinos e Brasileiros e trabalhando o diálogo entre a música eletrônica e a música orgânica, com synths, timbres e instrumentos ressoando em plena harmonia, o projeto está sendo produzido em parceria com Gabi Riddim (Baile Caverna) e Zimba Selektor, produtores musicais locais e terá a masterização de Buguinha Dub (PE) com data de lançamento para o verão de 2018.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar